Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado II - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Linguagem figurada em passagens bíblicas

Linguagem figurada em passagens bíblicas

José Ferreira da Costa.

Dissertação de mestrado em Lingüística (UFPE).

Data da defesa: 31/07/2006.

Resumo: Nem tudo que acontece à volta das pessoas é perceptível por elas. Talvez esta afirmação se encaixe no que se refere à questão do poder. Ele permeia as relações sociais, está presente de alguma forma onde seres humanos se encontram para fazer alguma coisa, entretanto, nem todos percebem que alguns têm mais poder que outros. Assim, o poder envolve uma autêntica rede de relações e eventos. E esta constatação nos leva a uma idéia básica: como usar o poder com inteligência, isto é, como usar o poder em benefício próprio, quando este for o caso, e quando o utilizar em benefício da maioria, das grandes causas sociais. O que está em jogo no jogo do poder é: como usar determinadas porções de poder em prol dos que dele necessitam, sem eliminar os opositores, sem transformar o exercício do poder em autoritarismo, sem esmagar os que fazem o contraponto ao poder que, na prática, justifica nossa existência e a validade dos nossos desejos de poder. Mas como exercer o poder, senão discursivamente? Então o poder não existe por si só, ele só existe na sociedade, nas relações sociais. E aqui entra um outro poder que está inseparado das diversas formas de poder: o poder da língua. A língua, não simplesmente como um código, ou como um instrumento de comunicação ou de “transmissão” de idéias. Mas a língua como um constructo social e histórico, como uma entidade produtiva, como dialogia e interação, como o espaço privilegiado do exercício das relações sociais, com todas as implicações daí decorrentes. E o poder e o poder da língua, da linguagem, poderá ter mais ou menos eficácia, a depender dos recursos estilísticos ou retóricos utilizados no discurso. Este trabalho objetiva proceder a uma análise interpretativa de algumas passagens do Antigo e do Novo Testamento, com base em teorias que nos pareceram suficientes, adequadas para analisar o corpus escolhido. O corpus tem por base um dos livros mais interessantes e lidos da humanidade e encontramos nele os dois pilares básicos da nossa dissertação: as relações de poder e as figuras de retórica. Os resultados obtidos pela análise empreendida dão sustentação às hipóteses da pesquisa

Um comentário:

adriano disse...

ola sou adriano moro no rio de janeiro e quero saber se tem como marcar um horário com vc para conversarmos sobre temas que envolve atualidade e religião
e-mail jaedotexto@hotmail.com