Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

O Livro de Ester: o protagonismo feminino na cidade de Susa

Título: O Livro de Ester: o protagonismo feminino na cidade de Susa

Resumo: O Livro de Ester faz parte das Cinco Meguilot (“rolos”). Na Bíblia Hebraica estão reunidas no terceiro grupo designado por Ketuvim (“Escritos”) e pertencem ao ciclo de leitura sinagogal. As meguilot são lidas nas festividades judaicas de Pessach/Páscoa (Cântico dos Cânticos), Shavuot /Pentecostes (Rute), Tishá BeAv/Memorial pela destruição do Templo e de Jerusalém (Lamentações), Sucot/Festa das Tendas (Eclesiastes) e Purim (Ester).
O Livro de Ester aparece em dois momentos distintos da liturgia da Igreja Católica (Lecionário Romano), conservando sua riqueza e protagonismo: 1º momento: Na quinta-feira da primeira semana da quaresma. 1ª Leitura: Est 4,17 e Sl 138 - 2ª Leitura: Mt 7, 7-12. 2º momento: Na festa de Nossa Senhora Aparecida – 12 de outubro. 1ª Leitura: Est 5,1-2; 7,2-3 e Sl 45 - 2ª Leitura: Ap 12,1-16. Evangelho: Jo 2,1-11.
O Livro de Ester é uma narrativa, em forma de novela, que aborda a vida judaica num período de dominação estrangeira, em especial quando os judeus vivem fora de Judá (no exterior). O palco do protagonismo de Ester acontece no ambiente persa, precisamente na cidade de Susa, uma das capitais do Império Persa. A redação do texto hebraico data em torno de 350 a.E.C., antes de o Império Persa ter sido conquistado por Alexandre Magno (333 a.E.C.).
A leitura do texto de Ester permite propor paralelos interessantes com o Livro do Êxodo. Pois, ambos tem como meta a luta pela verdade e justiça a fim de que o povo (judeu) possa sobreviver. Outro paralelismo perceptível é com a literatura sapiencial. No Livro de Provérbios é possível destacar o tema da humilhação do injusto e da exaltação do inocente. No mais, outras lições sapienciais como os conselhos voltados para a confiança, a solidariedade, a ação cautelosa, o discernimento prudente que cria estratégias possíveis e eficazes podem ser observadas. Em outra perspectiva, o ponto de ligação importante que faz de Ester um livro que preconiza o Eclesiástico, Daniel, Judite e Macabeus é o zelo pela identidade cultural e religiosa. Outra possibilidade de leitura do livro de Ester são os Salmos 58, 94, 109 e 137 cuja tônica é redescobrir que a vingança dos oprimidos não é mais do que a busca da verdade e da justiça.
A personagem Ester, como protagonista do livro que leva seu nome, destaca a ação da mulher no resgate de sua dignidade e na participação das lutas libertárias do seu povo. O olhar mais detalhado sobre o Livro de Ester desperta questões sobre o protagonismo feminino nas Cinco Meguilot. Tais questões são relevantes para compreender o papel da mulher na Bíblia. Permitem novas interrogações e descobertas e levantam questões sobre a posição da mulher na sociedade da época. No mais, fazem perceber o que significa o texto bíblico para ela nessa situação.

Palavras-chave: Livro de Ester, Bíblia Hebraica, Bíblia e Mulher, Bíblia e Literatura, Cidade de Susa. 

Nenhum comentário: