Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

domingo, 1 de maio de 2011

In the Eye of Jerusalem’s Archaeological Storm (by Israel Finkelstein)

Jewish Daily Forward (26/04/2011): In the Eye of Jerusalem’s Archaeological Storm (by Israel Finkelstein): Archaeological activity in Jerusalem has been sucked into a whirlwind of conflicting political agendas, and the site commonly referred to as “the City of David” is in the eye of the storm. At issue is a place of seminal importance for the Jewish people and indeed for anyone who cherishes the heritage of Western civilization. When dealing with archaeology in Jerusalem, one must first know the facts. Otherwise it is easy to be led astray by unfounded historical interpretations or to succumb to misinformation from those pursuing their own political agendas. >>> Leia mais, clique aqui.


Veja mais:

  • A História de Israel no Debate Atual
  • Bíblia e arqueologia: Este livro, A Bíblia Desenterrada: Uma Nova Visão Arqueológica do Antigo Israel e da Origem de seus Textos Sagrados [o título da tradução brasileira é: A Bíblia não tinha razão], foi pensado como um instrumento para que o leitor leigo, mas interessado no assunto, possa ter acesso a um panorama atualizado do que seus autores acreditam ser evidências arqueológicas e históricas indispensáveis para uma nova compreensão do nascimento do antigo Israel e a emergência de seus textos históricos sagrados. Escrita por dois especialistas de reconhecida competência nos campos da arqueologia e da história, a obra defende que os estudiosos devem atualmente abordar os problemas das origens da Bíblia e da sociedade israelita antiga a partir de uma perspectiva inteiramente nova. Assim, Finkelstein e Silberman se propõem reconstruir uma história bem diferente do antigo Israel, deixando aos leitores o julgamento sobre a validade desta reconstrução.

Nenhum comentário: