Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Translate

Seguidores

domingo, 20 de setembro de 2009

Ouvir e amar a Javé: Dt 6,4-9: um caminho para a cultura de paz

Ouvir e amar a Javé: Dt 6,4-9: um caminho para a cultura de paz

Nelvi Jorge Ceolin

Dissertação de mestrado em teologia (PUC-RS, 2006)

Resumo: A dissertação Ouvir e amar a Javé: Dt 6,4-9, um caminho para a cultura de paz é um estudo exegético bíblico-pastoral da perícope de Deuteronômio 6,4-9, que é denominado de Shemá Israel, sendo Israel desafiado a ouvir e a reconhecer Javé como único Deus em resposta de amor e fidelidade. A atitude de Israel deveria ser de amá-lo com todo o coração, com toda a alma e com toda a força e inculcar aos filhos estes ensinamentos. Esta demonstração do amor evidenciado unicamente por Javé, e não por outros deuses, leva Israel a formar uma sociedade em que a organização não se apóia na violência, nem se estratifica em classes sociais, mas é determinada por estruturas fraternas. Atualmente, o resgate destas ações expressa valores como a solidariedade, a cooperação e a fraternidade que foram minimizados no decorrer da história, ocasionando situações de violência. Os reis Ezequias e Josias, no séc VIII e VII a.E.C., promoveram reformas religiosas e políticas com o objetivo de unir Israel em torno de um só Deus, um só povo, uma só terra, um só santuário e uma só lei, a fim de manter a nação forte e coesa. Neste período, foi encontrado, no Templo, o livro da Lei que serviu como base para estas reformas. Este livro compõe o Dt atual, em que o Shemá Israel é agregador de valores como a solidariedade, a fraternidade e a justiça que impulsionam ações de paz. Na contemporaneidade, em meio aos conflitos e desumanizações, o Shemá é apresentado como um caminho alternativo, possibilitando reconhecer sinais existentes na sociedade, que enfoca a formação de uma cultura de paz. O Shemá aponta para uma mudança social na perspectiva do comunitarismo solidário, onde o complemento de Jesus Cristo em amarás o teu próximo como a ti mesmo (Mc 12,31), é fundamento de atitudes que consolidam tradições de paz.

Nenhum comentário: